quarta-feira, 15 de março de 2017

Nasces


És fluido, sequência dos momentos
Som da água que anuncia
o fim do estio
Silêncio de todos os momentos
em que a palavra era excesso

Início de todo o infinito
Destino para onde tende o horizonte
És linha do tempo
Calor de um suspiro

Curva do sorriso
Cofre onde repousam as lembranças


Fazes-me nascer a Primavera

3 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Já se vai vislumbrando aqui e ali um ou outro sinal de primavera.
Bonito poema e uma bonita imagem.
Abraço

Manuel Veiga disse...

que o amor (te) seja sempre Primavera.

gostei muito
abraço

Suzete Brainer disse...

Uma bela harmonia a foto e o poema em
palavras que nascem a Primavera!...
bj.