terça-feira, 12 de setembro de 2017

Intemporal


Felizmente não somos senhores do tempo. Os dias esgotam-se na ilusão da intemporalidade, correm que nem loucos, perdidos nesse desfiladeiro enganador. Vivemos o que podemos, e um dia, morreremos como os demais.
O que se assemelha a uma sina é talvez o mote da existência: produzir, criar, amar e viver, pois certa, certa, só temos a vida.

2 comentários: