quinta-feira, 28 de abril de 2011

Aprisionado




Aprisionas-me a alma por um fio
lento, leve e amargurado.
Num suave enrolar escorregadio,
de rompante exasperado
e em lume frio,
do sopro esbaforido do bafio,
que o vento tudo leva maltratado.

3 comentários:

trepadeira disse...

O mar partirá o fio soltando o espírito.
Um abraço,
mário

svasconcelos disse...

... há prisões que, de tão belas , amedrontam...

beijo amigo!:)

Marta Vasil disse...

Uma foto soberba!
Aprisionado do lado de cá, completamente livre do lado de lá. Entre um lado e outro, a alma presa por um fio. O vento a soltará para o lado de lá.
Foi a relação que estabeleci entre as suas palavras e a belíssima imagem.