segunda-feira, 30 de abril de 2012

Tentativa




Não pertenço aqui nem a parte incerta
Sou cidadão ausente e intemporal

Deslizo sobre o éter e desaguo
num leito onde só cabem esperanças

Todo o infinito que te enjeita
É curto e limita-te a ousadia

Mas.. ah! sempre um mas!
É bom saber, ter a certeza
Nem tudo é sujeito à tirania
de escolhas que prometem realeza.

Não, de ti, decides tu. Ah Ironia.

6 comentários:

Natura disse...

Excelente "Tentativa". Parabéns!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
trepadeira disse...

A tirania bem tenta.

Um abraço,
mário

Rita Carrapato disse...

Nem sempre a tirania vence, não é?

Que bom poema Armando! Já andava com saudades deles.

Beijinho

Rui Pascoal disse...

Palavras e imagens brilhantes, as dos seus blogues.
Bem haja!