quinta-feira, 19 de julho de 2012

O descanso das Palavras


Vou de férias.
Levo as palavras comigo, também precisam descansar.

9 comentários:

trepadeira disse...

Estou sempre assim ,assim,não tenho palavras,junto pedras,não para construir castelos,como Pessoa,como armas de arremesso.
Já não me bastam as palavras.
Bom descanso.

Um abraço,
mário

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

AS palavras chegarâo sempre aqui, mesmo que em registo de amizade..

Um abraço,amigo. Boas férias :)

Vanessa Santos disse...

Palavras são amigas eternas.Nunca nos abandonam...
Me faz uma visita?
http://mardeletras2010.blogspot.com.br/2012/07/a-dor-do-regresso.html

Brígida Luz disse...

Olá, Armando.

Boas férias, então,
e bons momentos de descanso.

Um dia destes,
estaremos por aqui, na companhia das palavras.

Até breve :)

B. Luz

Rita Carrapato disse...

Armando

De férias, mas levando as palavras, não acredito que lhes dê descanso. Nem elas quereriam isso.

Boas férias.

Lídia Borges disse...

Que descanse o poeta e a sua arte.
Desejo boas férias a ambos.

Lídia

Fragmentos Culturais disse...

Tens razão! As palavras também merecem descanso.

A fotografia é encantadora! Quase diria que a janela é um quadro emoldurando a parede. E as tonalidades! Serenas.

Bom descanso!

Luís Coelho disse...

De férias é quando procuro as palavras que me alimentarão o descanso e me darão raízes para continuar vivendo e aceitando o momento de as escrever.

Passei por aqui e voltarei.

Anónimo disse...

Procurei no descanso das suas palavras as minhas. Simples e sinceras.
Há autores e Escritores. Todos somos autores, mas escritores apenas os melhores ficam na história e para a História.
A "ciência" da literatura Portuguesa, num olhar "progressista", transforma as palavras num sistema difícil mas fascinante. Por isso digo, que o azul e o verde são a união perfeita.
Agora à Transmontana: que nas escolas deste País os raios e corriscos sejam uma constante.
Bem haja, Armando Sena.