terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O que te anima?


O suave sentir do fim da tarde
O enganador idílico pôr-do-sol
O nostálgico enfadonho anoitecer
O efémero e ilusório sonho
O irritante e pontual acordar
O revigorante fresco do banho
O potente e violento trovejar
A chuva triste e sensual
O enleio do vento tentador
O dia que de novo te guiar
Ao fim da tarde
Ao pôr-do-sol 
Ao anoitecer

8 comentários:

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

"O dia que de novo te guiar"!

Bom Ano!

Lídia Borges disse...


Há ainda umas latas de tintas coloridas que podemos usar para dar cor aos dias.
Nós somos capazes!...

Um beijo

trepadeira disse...

A vida.

Abraço,

mário

LUZ disse...

Olá, Armando!

Que pergunta boa!
Tudo aquilo que escreveu no seu poema (e não gosta de poesia, imagine se gostasse).
Chuva sensual? Nunca tinha pensado nela.
Mas, se calhar, até é. É bom namorar à chuva e escrever, também.

Obrigada pelo esperado comentário no "Luzes e Luares".

Vá, aparecendo.
Aqui, e no Alentejo donde vim, está frio e o "template" é cinzento. Valha-me Nossa Senhora, e eu que adoro luz, luminosidade.

Bom domingo.
Beijo da Luz.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu amigo

Tudo o que escreveu no seu belo poema faz parte da vida...desde a madrugada ao entardecer.

Um beijinho
Sonhadora

Anónimo disse...

Um lindo Poema, que alimenta qualquer alma.

Anónimo disse...

Venho mais uma e outra vez além do poema a escrita é como uma recordação de tempo antigos.

Anónimo disse...

Além da escrita recordar velhos tempos...vou mais longe falta o papiro. Belo poema.