quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Tocas-me


Tocas-me
com mãos que conhecem os meus acordes
dedilhas as notas todas que há em mim

Das cordas
que revelam as minhas histórias
extrais sons evocando o por do sol
num ritmo em que tenso me possuis

e

Ressoando no interior de mim
prolonga-se o eco do desejo
uníssono,  possuído pelo momento

Colas-me ao teu ventre em harmonia
libertas-me num momento de magia
num alinhamento temperado
que só o som da cumplicidade proporciona

Vibras-me a alma
Nasço da ponta dos teus dedos

Sou música!

8 comentários:

trepadeira disse...

A música como mulher, lindo.

Abraço,

mário

© Piedade Araújo Sol disse...

antes de tudo gostei muito da foto, que confesso, nao sei onde foi tirada.

o poema é uma homenagem `música e à mulher, escrita com muita ternura.

gostei muito!

:)

deep disse...

Muito bonito!

Bj

Vieira Calado disse...

Gostei!
Saudações poéticas!

Rita Silva disse...

A perfeita harmonia entre a música e o Homem, saída de dedos que dedilharam uma linda poesia.

Beijinho

Suzete Brainer disse...

Belíssima foto que sedimenta

a imagética do teu sublime poema.

A música, a melodia do amor no

caminho do toque ao encontro...

Bj.

Teresa Almeida disse...

Também fui tocada pelo Lamadeiras. Um nome bem curioso!
Quanto ao poema é todo dedilhado com enorme sensibilidade.
Abraço.

EU disse...

Ser música pelo encanto da musa, é perfeição!
"Tocou-me"... :)
Bjo, amigo