terça-feira, 13 de outubro de 2015

A curva dos duendes


Na curva de um prenúncio de outono
que as marcas da intempérie anunciam
nas cores de uma manhã de tempestade
aí onde se escondem os encantos
de duendes e artífices benfazejos
ilusionistas de um mundo de encantos
que apenas
existe
no âmago
de um olhar
de nostalgia

5 comentários:

deep disse...

O Outono tem esse lado mágico.

Belos, imagem e poema. :)

Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

poema melancólico e uma foto em que toda a beleza do Outono está retratada...

muito belo!

beijo

:)

Lídia Borges disse...


Ainda assim! Nada há que se compare a um momento em que os nossos olhos, ainda que só por instantes, são capazes de percepcionar os passos dos duendes pelo chão atapetado de outonos idos.

Um beijo

Lídia

Mar Arável disse...

As sombras projectam-se no chão que pisamos

Abraço

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/