sexta-feira, 9 de março de 2018

Escreve-me



Escreve
Escreve-me na mão trovas do teu imaginário
Dos dias bons, dos menos bons, assim-assim
Da euforia, da tristeza, da alegoria figurada

Escreve
Nem que seja de momentos imaginados
De sugestões, de conselhos, comentários
observações que a mim nunca chegaram

Escreve
Conta-me de ti, das tuas horas
Dos segundos que ecoam nos murmúrios da ausência
Da beleza de um sorriso provocado
Da lástima de uma lágrima reprimida

Escreve-me
Sempre que a ventura te sorria, escreve-me
Se na des(ventura) tropeçaste, escreve-me
Mas, escreve, pois sabes que te leio nas estrelas
Sabes que te leio
Mesmo quando não me escreves

4 comentários:

Mar Arável disse...

Sempre um prazer visitar o seu espaço
Abraço

Li disse...

É um prazer ler-te, por isso escreve!

© Piedade Araújo Sol disse...


que maravilha...

às vezes estes pedidos tem mesmo retorno.

gostei muito de ler

bom fim de semana.

beijinhos

:)

Anónimo disse...

Sublime!