quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Colheita de Incertezas




Se o primeiro livro nos marca, o segundo traz-nos ainda mais alegria pela consolidação do caminho antes iniciado, criando uma maior responsabilidade e esperança para os tempos que se seguem.

Surge assim, Colheita de Incertezas, o meu próximo livro, um romance centrado no Douro, que será apresentado no próximo mês.
Brevemente divulgarei aqui mais novidades.

Armando Sena

6 comentários:

Lídia Borges disse...


O aspecto gráfico é excelente, o espaço da ação, um pedaço de nós, o título pleno de atualidade...
Quanto ao resto, é só esperar.

Parabéns!

Beijo meu

trepadeira disse...

A colheita é sempre uma incerteza,daí o encanto.

Aguarda-se com ansiedade.

Um abraço,
mário

LUZ disse...

Olá Armando,

Parabéns pelo lançamento do seu segundo, e próximo livro.
É uma responsabilidade, acredito, que sim.

O seu próximo livro tem um título bem transmontano e ao mesmo tempo, actual, visto que, ninguém, a não ser Deus, para quem é crente, sabe o dia de amanhã, mas há períodos melhores na História da Humanidade, que outros.
O que estamos a viver, nós e a Europa, em geral, não é nada favorável, mas já se passaram factos bem piores que estes, e conseguimos avançar.
Claro que quando esbanjamos, isto mesmo com o nosso orçamento familiar, temos de cortar noutras coisas, como todos sabemos.

Bem, deixemos a política para os políticos.

Falemos da sua escrita, que conheço há tão pouco tempo, aqui, no blogue.
É uma escrita densa, relacionada como meio em que vive, e de grande qualidade.

Graças a Deus, que não escreve como Aquilino Ribeiro, que tive de ler, na faculdade, e que tinha termos, que não lembravam a ninguém.

Mas, os Transmontanos são assim(agora, vou tentar dizer "mal" de vocês).
De personalidades bem fincadas, retos, honestos e firmes, têm uma só palavra.

MAIS VALE QUEBRAR, QUE TORCER, É O VOSSO LEMA.

Trabalhadores natos, amam a natureza e os animais, e a vossa escrita, reflete essas realidades.

Resto de boa noite, já quase madrugada.
Abraço da Luz.


FRUSTRAÇÃO

Foi bonito
O meu sonho de amor,
Floriram em redor
Todos sos campos em pousio.
Um sol de Abril brilhou em pleno estio,
Lavado e promissor.
Só que não houve frutos
Dessa Primavera.
A vida disse que era
Tarde demais
E que as paixões tardias
São ironias
Dos deuses desleais.

(Miguel Torga)



LUZ disse...

Armando, eu, de novo!

Já coloquei as minhas fotos nos painéis dos seus blogues. O prometido é devido. Não sou Transmontana, sou Alentejana, mas costumo fazer, aquilo que digo.
Bem, agora, se pretender, é só retribuir.
Tenho dois blogues, como julgo que sabe, e há novo poema no "Luzes e Luares". espero por si, ou melhor, pelo seu comentário.
Obrigada!

Abraço da Luz.

Silvia Mota Lopes disse...

Parabéns!
existe num mar de incertezas a realidade de um livro:)
beijinho e muito sucesso

Miosotis disse...

Muitos parabéns :-)

Ficarei por aqui a aguardar as novidades. Sugestivo, o título!

Abraço