domingo, 26 de janeiro de 2014

Haverá um dia assim?


No lento remanso da chuva miudinha
Embalado no calor do recolhimento
Ao som do crepitar da lenha seca
Cuja chama alimenta o divagar
Sinto o suave torpor das horas vagas
Bebo a letargia do momento
Absorvo, vago e sonolento
A eternidade dormente
De nada fazer e tão-somente
Sentir-me nos píncaros da preguiça
Despir-me da opressão das horas cheias
Viver esta efémera panaceia
Conceber nem que apenas num momento
Que do cinza húmido de um dia triste
Se colhe o paraíso que existe


Haverá um dia assim?

11 comentários:

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Temos dias assim em que apenas nos apetece estar dentro de nós.
Como sempre adorei ler-te.

Um beijinho
Sonhadora

Sissym Mascarenhas disse...



Eu sempre estou em busca de um pouco de silencio para aquietar minha mente que trabalha sem parar.

Beijinhos

Canto da Boca disse...

Nós também vamos sendo embalados, envolvidos, nas sensações que saltam do poema: o barulhinho da chuva; o crepitar da madeira na lareira; a sonolência que o instante causa, e como a poesia transforma um dia gris em uma bela paisagem, uma passagem rumo ao paraíso.

;))

rosa-branca disse...

Tem que haver senão a gente inventa. Maravilhoso. Beijos com carinho

© Piedade Araújo Sol disse...

sim há dias assim...e ficou bem expresso neste poema.

uma boa semana.

beijos

:)

Suzete Brainer disse...

Poeticamente este dia foi

inscrito da forma mais bela

e sentida pelo olhar do

poeta.Todo poeta tem um

sentir que transcende

sobre a vida...

Sempre bela a tua

poesia,Armando!

manuela barroso disse...

Há pois, Armando! Se há! E fê-lo de uma forma tão maravilhosa que pensei que só eu sentiria o prazer desse pasmar, de fazer nada, fazendo tanto: desligar! Pois...nem sempre é fácil travar a bola da imaginação...
Lindo, lindo!
Grande abraço

Anónimo disse...

Claro que há e este Inverno tem sido profícuo nestes dias cinzentos... e tu, pelos vistos, consegues transformá-los em arco-íris com a tua poesia!
Senti-me nesse recolhimento ao ler o poema.
L

Pérola disse...

Espero que hajam muitos dias assim: onde se recolhem paraísos.

Beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Há certamente... como a suavidade deste poema "preguiçoso" num belo descansar...

Forte abraço

trepadeira disse...

Sinto esse dia, ali, a dormitar.

Abraço,

mário