domingo, 22 de junho de 2014

torrente


Mais um que corre
por entre a multidão de apressados
Mergulhando num dia que conheces
Enfrentas as horas do dever
Deixas-te levar nessa corrente
Do ter que ser, do que é urgente

Das partes que somadas nunca dão
o todo que sempre foi inatingível
mas de tanto ser citado se tornou
miragem, utopia, desatino

Esqueceste porém que nessas horas
Se havia algo que merecesse
o cuidado, a eterna proteção
mais que tudo, a tua atenção
não era o tão adorado sustento
eras tu, em todo e qualquer momento

Amanhã há outro dia
Sem ti, nada existe!

10 comentários:

EU disse...

Mergulhados no dever das tarefas a cumprir, frequentemente desviamos o olhar do que é importante para o outro, esse "cuidado" que devia ser, afinal, a tarefa essencial do ser humano.
Gostei imenso, Armando.
Bjo :)

© Piedade Araújo Sol disse...

e na pressa deixamos passar tanta coisa...

:(

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Uma verdade esquecida...

Gostei muito da forma tão camoniana como está belamente escrito :)

Um abraço :)

Suzete Brainer disse...

O cotidiano corre (no relógio),

mas o essencial (o Ser) tem

que ter o espaço (sereno)

de importância...

Gosto sempre,Armando!

Bj

Lídia Borges disse...


O essencial, tantas vezes suplantado pelo secundário.

Belíssimo poema!

Um beijo

Lídia

deep disse...

Vivemos apressados, e, nessa correria, deixamos tantas coisas boas por fazer, perdemos a oportunidade de nos darmos aos outros...
O que nos faz, afinal, correr?
Bonitos - o texto e a imagem.
Bj

Sonhadora (RosaMaria) disse...

meu amigo

Por vezes nessa pressa deixamos passar coisas importantes, mas a vida é assim.
Um poema profundo como sempre.

Deixo um beijinho e agradeço as palavras de apoio e carinho que me adoçaram o coração e me ajudaram a voltar.
Sonhadora

Pérola disse...

Outro dia?

Haverá sempre, algumas pessoas mudarão.

Beijo

Anónimo disse...

Sempre a tocar na ferida...
Tens razão, damos demasiada importância ao que deveria ser supérfluo, e esquecemos o essencial - os sentimentos, os valores!
Beijinhos
Lilita

Mar Arável disse...

Vagarosos instantes