quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Demanda




Demanda-se por caminhos traiçoeiros
Busca-se o que nunca sempre foi
Na esperança que um dia sempre seja.

Será da esperança que sempre nos ajuda
Da cegueira que na procura nos guia
Ou da vontade que o dia seja ontem?

Pois que amanhã sempre volta
E nos trás de novo a lembrança
Que só desiste da procura
Quem nunca se sentiu atraído
Quem no mundo anda persuadido
Que a esperança não existe
ou que um ideal não persiste.

Não, que prossiga a vontade
Que nos guie a liberdade.
De poder,
porque assim queremos prosseguir
Na demanda do nosso ideal

2 comentários:

cores e outros amores disse...

Gosto muito. Decidido e cheio de força!

trepadeira disse...

Com força e determinação.

Um abraço,
mário