segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Espelho


Não há espelho que reflita a sensatez
A dúvida ou a vontade do saber
O crer, a dor ou a saudade
A luz que em ti nasce ao entardecer

De dentro da vontade nascem rios
Levam em suas águas a lembrança
Daquilo que nasceu por necessário
E mirrou o chão que percorreu
Desaguando
sem passar por nenhum leito

Mas árido era o campo onde corria
Secava todo o sonho que teimava
Ser fonte de um qualquer
sopro de vontade

Se há um espelho que não minta
O mundo refletido nos teus olhos

14 comentários:

Mar Arável disse...

Nas águas do rio
já vi um cego chorar
lágrimas vivas

Canto da Boca disse...

Um espelho embaçado pode ser um mundo de equívocos, mas há no mundo certos olhos que refletem as luzes que rebrilham e iluminam na escuridão.

Uma poesia que reflete além da delicadeza, tanto sentimento. Linda!

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Esses rios que percorrem a alma do poeta são áridos e desérticos.
Por vezes correm neles a saudade perdida no brilho dos espelhos de água. É aí que brotam as nascentes vivas carregadas de dor.

© Piedade Araújo Sol disse...

a sensibilidade expressa num poema lindíssimo.

boa semana.

beijos

:)

trepadeira disse...

Esse rio fará renascer a vida num outro qualquer lugar.

Abraço,

mário

Lídia Borges disse...



Sim, os espelhos não foram feitos para reflectir essencialidades, (escrevei eu algures), mas vejo aqui, com admiração que, afinal, podem fazê-lo.

Um beijo

Suzete Brainer disse...

O olhar refletido

e reconhecido na raiz

do sentimento

que transborda poesia...

Belíssimo!!

Pérola disse...

Um grande fim de semana.

Beijinhos

Pérola disse...

Também gostaria dum espelho assim...tão amoroso e humano.

Beijos

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

... sensível, triste, já que o sonho secou vencendo o 'sopro de vontade'.

E, no entanto, a imagem é a antítese do que se sente. Linda!

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Belo poema, deixando sempre uma presença do meio, onde o sonho se efectiva a dois! De preferência sem espelhos...

Abraço

manuela barroso disse...

Tudo em tão perfeita sintonia, Armando!
Sempre um renovado prazer ler a sua poesia.
Abraço de saudades

manuela barroso disse...

Tudo em tão perfeita sintonia, Armando!
Sempre um renovado prazer ler a sua poesia.
Abraço de saudades

Sissym Mascarenhas disse...

Não escapo de um espelho, sempre tem algum me espreitando. Em casa.

Bjs